Mediunidade Cristã

A mediunidade, por dever espiritual, tem de estar ligada ao Cristo, se sentindo segura nos seus intercâmbios com os Espíritos, com os métodos de educação e de elevação espiritual.

A mente do medianeiro que se encontra em plena função é um cinetismo impulsionado pelo amor, sendo essa virtude uma fonte de variadas outras, capazes de reformar o homem, colocando-o como médium bom, para o preparo no futuro de um médium perfeito.

Comecemos logo a reforma interior, as mudanças que o Evangelho nos propõe, sem esmorecer nas atividades do bem, sem esmorecer na caridade bem orientada, sem esmorecer na honradez. Estudemos e compreendamos a vida dos discípulos de Jesus, copiando suas vidas, que mesmo surgindo a rejeição no profundo do nosso psiquismo, devemos suportar e prosseguir na auto-educação e na disciplina, que Deus não deixa de nos ajudar nas nossas lutas. Com todos os medianeiros, espíritas ou não, desejosos de crescer, os Espíritos de Luz estão dispostos a cooperar na elevação dos mesmos, aprimorando suas faculdades, porque Deus é Pai de todas as criaturas e oferta a todos as mesmas oportunidades de libertação. No entanto, é preciso que nasça a vontade interna para as devidas melhoras.

Todos nós, ao ingressarmos na carne, assinamos compromissos com os nossos maiores de cumprirmos certos deveres. Ninguém é obrigado a fazer compromissos, no entanto, temos obrigação, em os fazendo, de cumprí-los, para o nosso próprio bem; e cada vez mais ajustados na mente, participando o coração na honra, para que a consciência se asserene com a justiça.

Se você não for espírita, não tem importância, mas, se der vontade de conhecer a Doutrina Espírita, leia, pois conhecerá a dinâmica das leis naturais, que muito lhe servirão para a sua vida, melhorando suas atitudes e mudando seus hábitos incompatíveis com o amor cristão.

Os livros espíritas sérios passarão a lhe dar conselhos para sua melhora no comportamento dentro da sua casa, alcançando-o, com isso, na área do seu trabalho, nas ruas e mesmo nos divertimentos. E se é um coadjuvante para os seus nobres ideais já conquistados, aproveite, que muitos estão aproveitando seus exemplos no ajustamento da sua linha de evolução. Lembremos que tudo tem uma razão de ser, e nada se opera sem a permissão do Criador.

A mediunidade cristã é justa, honesta, trabalhadora, compreensiva, a ninguém fere, escuta quem deseja conversar, retirando para si o que esteja em harmonia com o Evangelho, porque comunga com o amor.

A mediunidade cristã é ponderada, oferta sempre a paz para os desesperados, fala servindo de instrumento para o equilíbrio, não se esquece dos enfermos, levando a eles a esperança, vestindo os nus e dando pão a quem tem fome e irradiando a alegria para os tristes.

O médium cristão não julga seus companheiros, não torce os assuntos que vêm à sua mente, ajuda sempre, mas ouve os que desejam lhe falar direta ou indiretamente, e tira dos assuntos o que lhe serve como sendo o bem, envolvido no amor, porque esse médium ama a natureza, ama seu lar, ama seus companheiros de labor, ama os animais, ama a Deus em tudo o que for criado por Ele, porque é um servidor comum, como verdadeiro médium do amor e da caridade. E ainda dá exemplos da mediunidade na sua plenitude, que não explora, que não troca, que não vende. A ação das suas faculdades é ofertada do mesmo modo pelo qual recebeu por amor de Deus.

A plenitude mediúnica é a vivência plena do Amor!

João Nunes Maia pelo Espírito Miramez, Plenitude Mediúnica – Editora Fonte Viva

Esse post foi publicado em Educação Mediúnica e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.