Leitura e Preguiça

Quando se fala de mediunidade bem orientada, não podemos nos esquecer do aprimoramento espiritual e aprimoramento é auto-educação, fato exercido todos os dias; quanto mais aprender, mais se aprofundará nos segredos da escrita dos valores da vida.

Ler, muita gente lê, não obstante, saber ler poucas pessoas o sabem, porque entre as palavras existe o ouro e no intervalo delas vibra a melodia do amor. Como já foi dito, o Evangelho foi escrito em muitas dimensões do saber. O médium negligente sente e acompanha a luz nas vibrações em que fala no silêncio. O medianeiro revestido de dissídia não acompanha o progresso, não servindo como deve servir, não ajudando como deve ajudar, não amando como deve amar, nem praticando a caridade como a lei de Deus estabelece.

Antes que possa manifestar-se a vontade de desenvolver suas faculdades mediúnicas, deve o médium compreender o valor do estudo e da dedicação no bem comum, entendendo que a mediunidade vem por acréscimo de misericórdia, no equilíbrio que a vida pede. O trabalho é a força de Deus junto ao homem, capaz de harmonizar seu mundo interno e assegurar sua capacidade de servir com eficiência.

Agradeçamos ao livro que ensina, pois, nele se encontram guardadas todas as experiências de todos os povos, em toda a arte do saber; valorizemos o livro bem orientado, pois que ele é a resposta de Deus aos homens ansiosos por aprender, despertando as luzes da vida na consciência, pelos canais do coração.

O médium espírita deve ser um homem diferente, por mostrar aos outros a educação nos seus lances de vida, sua sabedoria na humildade que demonstra e a caridade em favor de todos, no exemplo de cada dia, sem nos esquecermos da fraternidade universal.

Não deixemos que o tempo passe sem proveito! Estudemos! A indolência empana a visão espiritual e faz esquecer as belezas imortais da natureza, professora perfeita da humanidade nas vias do tempo. Estudemos os livros, estudemos a vida em expansão universal, estudemos os companheiros sem nos distrairmos com os obstáculos, que a exigência é toda cheia de dificuldades morais e físicas, de modo que, sem o esforço de cada um para subir, não haverá progresso.

Ser médium é ser justo, é ser compreensivo e alegre, é ser amoroso, é ser bom, é ser confiante em Deus e persistente no bem comum. Mas essa mediunidade somente se encontra naqueles que lêem, decoram e vivem os ensinamentos de Jesus juntamente com Kardec, exemplificando-os minuto a minuto, em todas as suas vidas sucessivas.

O médium desmazelado se encontra “morto”; não tem coragem de mover-se em favor dos outros, ajudando a própria natureza no seu gigantesco trabalho de aprimoramento de tudo e de todos.

O médium deve planejar a sua vida, buscando a sintonia do Divino Mestre, mostrando para o Senhor que deseja caminhar como seu discípulo no aprendizado universal. Tudo que encontramos nos nossos caminhos, se bem entendido, são lições valorosas que nos cabe guardar como tesouro de luz para o nosso coração, que anseia pela paz. Aprender com Jesus é ter certeza da felicidade alcançada, buscando a plenitude da consciência no amor.

João Nunes Maia pelo Espírito Miramez, Plenitude Mediúnica – Ed. Fonte Viva

Esse post foi publicado em Educação Mediúnica e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.