Escala da Oração

O poder da prece nos mostra, pela estrutura evolutiva do espírito, que quanto mais amor tem a alma, mais prodígio faz através da rogativa. A fé é uma oração vibrante no coração do crente. A sua expressão é de acordo com a posição que ocupa na faixa da vida em que se situa. O poder da súplica é sem limites. Intitulamos esta mensagem de Escala da Oração, pois, na verdade, ela se divide mais do que os elementos na posição periódica, desde as frações de oitavas no mundo interatômico até o circular das galáxias no espaço infinito; desde os primeiros sinais de vida na Terra, aos espíritos mais evoluídos.

A existência é um eterno cântico. Se quereis ou podeis entender, tudo na criação é uma prece divina e permanente ao Todo Poderoso. E, na faixa humana, entre os misticismos mais puros, essa postura espiritual se aperfeiçoou mais, cresceu verticalmente como uma árvore gigantesca, onde a seiva fecundante corre em emio ao seu ciclópico corpo, levando elementos da Terra para se purificarem nos céus.

O santo se defende de todas as investidas do mundo com o engenhoso meio de orar. Ele purifica a atmosfera que o circunda, com os fluidos atraídos na concentração que se originou na prece, e ainda se alimenta com esse ambiente divino.

Aperfeiçoando-nos na oração, ser-nos-á fácil esquecer as mágoas e perdoar as ofensas. Cada indivíduo deve orar na escala que lhe é própria. A naturalidade desata forças em nosso favor. A humildade abre as portas do oculto, atendendo à compatibilidade do amor que sentimos pelos outros. A caridade nos garante e propicia um poder maior de fé, de modo a aumentar a esperança no que pretendemos receber pela oração.

A necessidade da rogativa, para o homem, compara-se ao carro em que falta combustível e que tem de parar em um posto de gasolina para se reabastecer com o inflamável, pagando o preço correspondente. Nós outros, em todas as duas faixas da vida, somos como carros espirituais. Quando esgotados de energias, paramos e pedimos ao Suprimento Maior o combustível divino, e pagamos com os preceitos dignificantes, vividos diariamente. Quanto mais damos, mais recebemos de energismo cósmico.

A criança entre nos corredores do mundo pela porta estreita do nascimento, chorando, que é o tipo de oração formulada por ela. E é nesse clima que os sorrisos, tanto da mãe quanto dos familiares, lhe garantem a assistência, o conforto, em nome de Deus, respondendo à súplica. Assim, os pássaros, assim os animais. O gemido, provindo da dor, é um pedido de socorro que logo será atendido por mãos caridosas, em nome dos sentimentos altruísticos.

Queiramos ou não, oramos todos os dias, aconselhando os filhos à obediência, ao estudo e aos deveres; respeitando os pais, honrando a família e dando-nos ao trabalho de cada dia; dando pão a quem tem fome e vestindo os nus; dando água a quem tem sede e paz aos desesperados: falando, aprendendo e instruindo. Tudo isso é escala da oração. E ela ainda se estende mais além, porque é a própria vida em profusão. Já conscientes disso, companheiros, vamos orar nos moldes ensinados por Jesus. Fechar as portas e formular a súplica, em segredo, ao Poder Supremo, com as mesmas palavras do Mestre: Pai Nosso…

João Nunes Maia pelo Espírito Miramez, Horizontes da Mente – Ed. Fonte Viva

Esse post foi publicado em Sobre as Preces e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.